Blog

Terapia ABA: como é aplicada e para o que é indicada?

16/10/2019 publicado por: ahsako

A terapia ABA lhe soa familiar? Embora a cada dia, ela ganhe maior notoriedade, para uma boa parte das pessoas ela ainda é uma ilustre desconhecida.

Antes de falarmos exatamente sobre a terapia ABA, quero te convidar a refletir: imagine se você pudesse encontrar um método de tratamento para seu filho, filha ou ente querido, que é diagnosticado (a) como autista, que pudesse, por exemplo:

  • Trabalhar a falta de comunicação do paciente;
  • Otimizar a linguagem;
  • Tratar as estereotipias;
  • Lidar com o isolamento social, etc.

Certamente, você não pensaria duas vezes para trazer mais bem-estar e qualidade de vida para uma pessoa que lhe é tão especial e importante, não é mesmo?

E se eu te dissesse que é exatamente isso que propõe a Análise Comportamental Aplicada (ABA)?

Vamos conhecer melhor o tema a seguir? Acompanhe!

Terapia ABA: único tratamento com evidência científica suficiente para ser considerado eficaz

Desde a década de 80, temos estudos mostrando como esse tipo de análise pode auxiliar de forma assertiva no tratamento de pessoas com transtorno do espectro autista (TEA).

Na verdade, ABA é a sigla para Applied Behavior Analysis, traduzida como Análise Comportamental Aplicada.

De acordo com a Associação para a Ciência do Tratamento do Autismo dos Estados Unidos, a terapia ABA é o único tratamento com evidência científica suficiente para ser considerado eficaz.

A intervenção, ou seja, a aplicação da terapia ABA, em linhas gerais se caracteriza da seguinte forma:

  • Avaliação do comportamento;
  • Identificação dos comportamentos que estão em déficit, geralmente em ligados a interação social e à linguagem;
  • Identificação dos comportamentos que estão em excesso, como estereotipias, interesse restrito a determinados temas e objetos, comportamento autolesivo e agressivo, etc.
  • Elaboração de um plano de intervenção individual com base no comportamento avaliado;
  • Trabalhar os excessos;
  • Ensinar aquilo que está em déficit;
  • Reavaliação periódica do paciente durante o tratamento.

Para melhores resultados, o ideal é que a terapia ABA seja aplicada precocemente.

Também é importante que o tratamento seja adotado de forma intensiva, duradoura e abrangente, envolvendo tanto a família do indivíduo, bem como a escola e âmbito social em geral.

A aprendizagem é o processo psicológico subjacente principal nesta abordagem.

Gostaria de conhecer melhor o método ABA e esclarecer suas dúvidas? Deixe um comentário ou entre em contato conosco, será uma prazer!

Aproveite e compartilhe este artigo com alguém que tenha interesse em tratamentos para autismo. Até a próxima!

Tags: #ABA #Autismo